Lá do Alto – Parábola dos dois caminhos

paraboladoiscaminhos

Um velho pastor de ovelhas, saia todos os dias de sua casa antes da luz do Sol, para cuidar do seu rebanho. Por ter uma idade bem avançada, tinha os passos lentos e curtos, mas mesmo com dificuldades não abria mão de cuidar do rebanho e demonstrava orgulho em sua vida simples de pastor de ovelhas. Tinha por hábito fazer suas orações durante o trajeto e em seguida ligava seu antigo rádio de pilhas para se distrair, dizia que isto “encurtava” a caminhada. Numa dessas manhãs após as rotineiras orações, resolveu mudar o caminho. Depois de um longo tempo sentiu-se arrependido pois observara que uma ponte que ligava as duas margens havia se despencado rio abaixo e teria que voltar para o antigo caminho depois de quase uma hora de caminhada. Agora o calor já o incomodava e impaciente acelerava os passos enquanto pensava: “Maldita hora em que resolvi mudar de caminho! Acho que minhas orações assim como as minhas ideias não estão sendo de muita valia…”

Sol ardendo-lhe a face, cansado de tanto andar depara-se com um antigo conhecido do mesmo vilarejo que o adverte: “Por onde o Senhor andava? Seus filhos estão a sua procura! Já andaram por toda parte!”

Sem muito entender o motivo da pergunta, ele apenas respondeu que sem um motivo qualquer resolveu de repente mudar de caminho naquele dia, mas que acabou perdendo mais tempo por não saber que a ponte havia se quebrado nas últimas chuvas por aqueles lados. “Pois só pode ser um anjo que lhe soprou aos ouvidos para mudar o rumo hoje! Hoje vinha passando por este caminho uma boiada que acabou estourando, quando surgiram do nada umas onças atacando os animais numa fúria que foi boi pra tudo que é banda!” Tomado de forte emoção, agora compreendera o pensamento repentino. Era inevitável não pensar na Misericórdia do Senhor. Naquele momento, em sinal de grande reconhecimento, o velho homem retirou o chapéu de palha e de joelhos, agradeceu à Deus por ter lhe resguardado a vida, mesmo depois de viver o vacilo da fé.

Fonte: Aqui

Lidiane Silva
Casada, Mãe da Ester, do Arthur e da Sophia, Cristã na CCB, adora passear, e nas horas vagas aproveitar pra fazer crochet. =)

Seja Luz!

seja-luz-as-escolhidas

Na correria do dia a dia, não nos atentamos para detalhes simples, mas que fazem toda a diferença. O canto dos pássaro, a brisa que sopra de leve fazendo as folhas voarem pra longe, a criança que sorri com coisas que parecem bobas, mas que para elas fazem toda a diferença.

Na maioria das vezes, não damos um “bom dia”, “boa tarde” ou “boa noite”, nem sempre nos desculpamos, pedimos com licença ou por favor.

É preciso parar, refletir, não deixar que essas coisas tornem-se um costume. Sorria mais, abrace mais, ajude a quem precisa, seja com uma boa palavra ou a mão estendida.

É feliz quem faz os outros felizes, quem ajuda sem esperar algo em troca, quem ama o próximo, quem agradece e reconhece que a vida é melhor, se andarmos lado a lado com Deus. :)

Reprodução: Texto de Nilci Santos – Sobre a vida.
Gislaine Rodrigues
Cristã na CCB, Consultora de Estilo no Cabide Criativo, adora tudo que envolve criatividade e quer um dia conseguir ajudar muitas pessoas no mundo. =)

Lá do Alto: “As coisas nem sempre são o que parecem…”

ascoisasnemsempresaooqueparecem

Dois anjos viajantes pararam para passar a noite na casa de uma família muito rica.

A família deu abrigo, mas com muita má vontade.

Apesar de viverem em uma mansão com muitos quartos, não permitiram que os anjos ficassem em nenhum deles.

Em vez disso, deram aos anjos um espaço, em um quartinho pequeno e frio, no sótão da casa.

A medida que eles faziam a cama no duro piso, o anjo mais velho viu um buraco na parede e o tampou.

Quando o anjo mais jovem perguntou o porquê, o anjo mais velho respondeu:

“As coisas nem sempre são o que parecem…”

No dia seguinte, os dois continuaram viagem.

Com a chegada da noite, os dois anjos pediram abrigo na casa de um casal muito pobre.

O senhor e sua esposa eram muito hospitaleiros e receberam, de bom grado, os viajantes.

Depois de compartilhar a pouca comida que a família tinha, o casal permitiu que os anjos dormissem na cama do casal, onde eles poderiam ter uma boa noite de sono para poder prosseguir a viagem totalmente descansados.

Quando amanheceu, os anjos encontraram o casal, banhado em lágrimas.

A única cava que eles tinham, cujo leite era a única entrada de dinheiro, jazia morta no campo.

O anjo mais jovem estava furioso e perguntou ao mais velho:

-Como você permitiu que isto acontecesse?

O primeiro homem tinha de tudo e, no entanto, você o ajudou.

A segunda família tinha pouco, mas estava disposta a compartilhar tudo, e você permitiu que a vaca morresse. Por que fez isso?

-As coisas nem sempre são como parecem…

Respondeu o anjo mais velho.

-Quando estávamos no sótão daquela imensa mansão, notei que havia ouro naquele buraco da parede. Como o proprietário era muito avarento e não estava disposto a compartilhar sua boa sorte, fechei o buraco de maneira que ele nunca mais encontraria o ouro. Depois, ontem à noite, quando dormíamos na casa dessa família pobre e humilde, o anjo da morte veio em busca da mulher e do agricultor, e eu lhe dei a vaca no lugar dos dois.

Por isso que sempre digo, que as coisas nem sempre são como parecem…

Algumas vezes, isso é exatamente o que acontece quando as coisas não saem da maneira como esperamos.
Se você tiver fé, somente necessita confiar que aconteça o que acontecer com você, algum propósito há.
Provavelmente alguma coisa muito melhor virá a seguir.

Fonte: Daqui

Lidiane Silva
Casada, Mãe da Ester, do Arthur e da Sophia, Cristã na CCB, adora passear, e nas horas vagas aproveitar pra fazer crochet. =)

Lá do Alto: Não seja precipitado!

Uma certa vez, uma mulher seguia seu caminho com sua filha. Até que resolveram parar em uma feira e comprar maças.
Depois de um determinado tempo a mãe pediu a filha uma das maças para que ela comesse. Já tinham andado bastante e ela estava cansada.
– Filha, pode dar uma das maças para a mamãe?
– Claro mamãe só um minutinho!
De repente a menininha dá uma mordida em uma maça, olha para a outra e a morde também. Depois disso, escolhe uma das maças e dá a sua mãe com um enorme sorriso no rosto.
A mãe ficou sem entender o comportamento de sua filha e ficou até um pouco chateada pelo fato de sua maça ter sido mordida. Então resolveu pegar a maça e não disse uma só palavra.
A criança estranhou a feição séria da mãe e disse:
– Pode comer mamãe! Essa é a maça mais doce, eu mordi as duas para escolher para a senhora a melhor.

la-do-alto-as-escolhidas
Imagem: Reprodução/Pinterest
Esta é uma história simples e até lúdica mas que se lermos com atenção podemos identificar um ato que geralmente cometemos: precipitar-se!
Muitas vezes julgamos alguém ou uma situação antecipadamente e isso pode gerar malefícios, como mágoas e até mesmo a perda de ótimas oportunidades.
Na historia a criança mordeu as duas maças para saber qual era a mais doce para presentear a sua mãe. O seu objetivo era bom, era agradar a quem tanto amava. Entretanto, para a mãe que não sabia disso pareceu um ato de descaso. Somente depois ela pôde perceber que na verdade era um ato de amor.
Será que você não tem se precipitado em alguma área de sua vida? Ou em situações que poderiam lhe fornecer até boas oportunidades mas você acabou perdendo por ter entendido tudo errado?
Na Palavra de Deus em Provérbios 14:29 diz “Mas o de ânimo precipitado demonstra loucura.”. Ou seja, podemos perceber que quando agimos precipitadamente agimos como loucos, que não tem entendimento do que fazem. E daí, a razão de cometermos tantos erros.
Outro trecho forte da Bíblia está em Provérbios 29:20: “Tens visto um homem precipitado nas suas palavras? Maior esperança há para o tolo do que para ele.”
Devemos aprender com Aquele que sabe de todas as coisas, que é verdadeiro e nos ama, que é O Nosso Deus. Ele sempre nos ensina a pensar, analisar, buscar a sabedoria antes de agir.
Imagine se você pudesse voltar no tempo e não falar todas aquelas palavras que você disse quando estava com raiva para aquela pessoa que você ama? Talvez você tenha feito ou dito algo de forma precipitada há muito tempo, mas sofre por esse ato impensado até hoje. O que fazer?
Voltar no tempo não se pode, mas podemos agir de hoje em diante de forma mais sensata e sem sermos precipitados! Enquanto há vida há esperança :) rs
Texto escrito por Juliana Hellen do Blog A Menina dos olhos de Deus.
Gislaine Rodrigues
Cristã na CCB, Consultora de Estilo no Cabide Criativo, adora tudo que envolve criatividade e quer um dia conseguir ajudar muitas pessoas no mundo. =)